Chile esclarece assassinato de cientista japonês

A Justiça do Chile afirmou ter apresentando acusação formal contra o responsável pelo assassinato de um cientista japonês que trabalhava na construção de um telescópio no país. Segundo a investigação, a morte foi resultado de um crime comum.

Koichiro Morita, de 57 anos, foi encontrado morto perto de seu apartamento em Santiago na última segunda-feira.

Inicialmente a polícia suspeitou que ele havia sofrido uma queda e batido a cabeça, mas exames revelaram que ele havia sido atingido por um objeto pesado.

Segundo a Justiça do país, Morita foi assassinado por Christopher Quijada, de 25 anos. A motivação do crime foi uma tentativa de assalto.

O projeto Alma, no qual Morita trabalhava, é um radiotelescópio gigante que os cientistas esperam ser capaz de observar regiões do universo que nenhum outro telescópio já construído conseguiu examinar.

O objetivo é obter mais informações sobre a formação do universo há 13 bilhões de anos.