Escritor venezuelano nega mensagem de assassinato em palavra-cruzada

Um escritor de palavras-cruzadas na Venezuela afirmou nesta sexta-feira ter sido sabatinado por agentes da inteligência do país após a acusação de criar uma mensagem de assassinato criptografada em um de seus enigmas.

Neptali Segovia, que trabalha no jornal venezuelano "Últimas Noticias", negou ter usado uma de suas palavras-cruzadas para incitar a morte de Adan Chávez, irmão do presidente Hugo Chavéz.

Algumas das respostas do enigma incluíam as palavras "matar" e "Adan".

A acusação partiu de um comentarista televisivo pró-governista, que comparou a palavra-cruzada escrita por Segovia com as mensagens criptografadas usadas pela Resistência Francesa durante a Segunda Guerra Mundial.