Irã enforca 'espião israelense' condenado por morte de cientista nuclear

Um homem condenado por matar um cientista nuclear iraniano, dois anos atrás, foi executado por enforcamento no país.

As autoridades iranianas dizem que Majid Jamali Fashi havia recebido mais de US$ 100 mil (R$ 198 mil) da inteligência israelense, o Mossad, para deixar uma motocicleta carregada com explosivos em frente à casa do cientista Masoud Ali Mohammadi, em Teerã.

Desde a morte do professor, quatro cientistas foram assassinados no Irã.

Teerã culpou Israel pelos ataques, mas o governo israelense não comenta as acusações.

A execução desta terça-feira acontece no momento em que o Irã participa de negociações internacionais sobre seu polêmico programa nuclear.