União Europeia precisa aumentar ajuda à Grécia, diz novo premiê francês

O novo primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault, disse nesta sexta-feira que a União Europeia (EU) deveria aumentar sua ajuda à Grécia, e defendeu para isso o uso de fundos estruturais do bloco que poderiam ser usados para fomentar a economia grega.

Ayrault disse que deveria estar entre os objetivos de todos fazer o necessário para manter a Grécia na zona do euro, embora reconheceu que os gregos podem simplesmente desistir da moeda única, frente aos desafios do que classificou como um programa de austeridade brutal.

As medidas de austeridade, que incluem demissões do setor público, cortes orçamentários, aumento de impostos e diversos mecanismos que diminuíram os serviços oferecidos pelo Estado, são exigências do FMI (Fundo Monetário Internacional), da UE e do Banco Central Europeu (BCE) em troca dos empréstimos emergenciais destinados ao país.

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schauble, disse que a Alemanha quer que a Grécia permaneça com o euro, mas deixou claro que os gregos devem fazer o que é necessário para restaurar sua economia.

As declarações chegam dois dias após milhares de gregos terem efetuado saques nos bancos do país, temendo o agravamento da crise. Na Espanha, houve rumores de que milhares de correntistas também haviam sacado suas economias.