Ex-presidente da Libéria é condenado a 50 anos de prisão

Ex-presidente da Libéria, Charles Taylor, foi condenado, por um tribunal apoiado pela ONU, a 50 anos de prisão por crimes de guerra.

No mês passado, Taylor foi considerado cúmplice de rebeldes em Serra Leoa durante a guerra civil de 1991-2002.

Juízes do Tribunal Especial para Serra Leoa disseram que a sentença reflete o status de chefe de Estado de Taylor na época e sua traição da confiança pública.

Taylor, 64, insiste que é inocente e deve apelar contra a sentença, segundo correspondentes.

O processo de apelação pode durar até seis meses, Anna Holligan, da BBC, informou de Haia.