Banco Central intervém no Banco Cruzeiro do Sul

O Banco Central anunciou nesta segunda-feira a intervenção no Banco Cruzeiro do Sul por descumprimento a normas do sistema financeiro e problemas na contabilidade.

Em nota, a autoridade monetária informou que afastou os dirigentes e controladores da instituição e nomeou o FGC (Fundo Garantidor de Crédito) como administrador temporário do banco.

O objetivo, segundo o BC, é "corrigir procedimentos operacionais ou eliminar deficiências que possam comprometer o funcionamento" do Cruzeiro do Sul.

O prazo da intervenção é de 180 dias.

Nesse período, informou o BC, os bens dos controladores e dos ex-administradores ficarão indisponíveis. A intervenção, entretanto, não afeta o funcionamento do banco, que pode continuar a fazer operações nas áreas em que tem autorização para atuar.

O prazo para pagamento de dívidas e as datas de vencimento de compromissos de terceiros com a instituição também seguem o cronograma original.

O Banco Cruzeiro do Sul possui 0,22% dos ativos totais do sistema financeiro e 0,35% dos depósitos, segundo dados de dezembro de 2011. A sede fica em São Paulo, mas há agências no Rio de Janeiro, Campinas, Salvador, Recife, Belém, Macapá e Palmas, além da própria capital paulista.