Observadores da ONU são atacados na Síria, diz Ban Ki-moon

Veículo da ONU em rua da Síria (Arquivo/AFP) Direito de imagem AFP
Image caption ONU enviou equipe de 297 observadores para a Síria

O secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, disse nesta quinta-feira que a equipe de monitores da organização que tentava chegar ao local onde teria ocorrido um novo massacre na Síria foi atacada.

Em um discurso durante uma sessão da Assembléia Geral da ONU para discutir a situação da Síria, Ban informou que os monitores foram "alvejados com armas de baixo calibre" no vilarejo de Qubair, onde 78 pessoas teriam sido mortas por forças leais ao presidente sírio, Bashar al-Assad.

No discurso na sede da ONU em Nova York, Ban também afirmou que o governo de Bashar al-Assad perdeu a legitimidade.

A ONU enviou 297 observadores à Síria para verificar a implementação do plano de paz negociado pelo enviado da ONU e da Liga Árabe ao país, Kofi Annan. Entre os monitores da ONU enviados à Síria estão 11 brasileiros.

Os monitores da ONU informaram que o Exército sírio está impedindo a entrada do grupo em Qubair. Mas, a televisão estatal da Síria relatou que os monitores entraram no vilarejo, uma informação que não pode ser confirmada por fontes independentes.

Um dos moradores de Qubair, que sobreviveu ao ataque, disse à BBC que, quando o Exército e a milícia do governo deixaram o vilarejo, ele encontrou cerca de 40 corpos, a maioria de mulheres e crianças mortas a facadas.

Ativistas de oposição afirmaram que forças partidárias do governo são responsáveis pelas mortes em Qubair, mas o governo, que alega que o número de mortos foi bem menor que o divulgado, afirma que os civis do vilarejo foram mortos por "terroristas".