Sete militares da ONU são mortos na Costa do Marfim

Sete militares do Niger que serviam na missão de paz da ONU na Costa do Marfim foram mortos em uma emboscada na sexta-feira.

O ataque aconteceu perto da fronteira com a Libéria, segundo a ONU.

O secretário-geral do organismo, Ban Ki-moon afirmou estar "entristecido e indignado" com os assassinatos.

Os capacetes azuis foram enviados em 2004 para a Costa do Marfim para acabar com uma guerra civil e permanecer no país desde então.

"Esses bravos soldados morreram a serviço da paz", disse Ban Ki-moon.

O secretário geral solicitou ao governo marfinense que identifique e responsabilize os autores da emboscada.

Os militares da ONU estavam patrulhando a região entre as vilas de Tai e Para após ouvirem rumores de um ataque iminente contra comunidades da região.

Ao menos 40 capacetes azuis permanecem na área para dissuadir ataques.

"Enviaremos reforços assim que amanhecer" afirmou Kieran Dwyer, o porta-voz do Departamento de Missões de Paz à Associated Press.

A área da emboscada tem sido palco de ações armadas que partem to país vizinho.

Elas são protagonizadas por mercenários liberianos e membros de milícias da Costa do Marfim que deixaram o país após a prisão do ex-presidente Laurent Gbagbo, no ano passado.