Líder britânico depõe em inquérito sobre conduta da imprensa

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, está depondo em um inquérito, nesta quinta-feira, que investiga a conduta da mídia britânica, discute a regulamentação da imprensa e a relação entre órgãos jornalísticos e a classe política do país.

O inquérito Leveson está investigando ainda o escândalo de grampos telefônicos conduzidos por um dos jornais pertencentes à News International, o grupo do magnata das comunicações Ruperto Murdoch.

Cameron era um amigo próximo da ex-chefe da corporação de Murdoch na Grã-Bretanha, Rebekah Brooks.

O premiê também contratou um dos ex-editores do grupo de mídia do magnata, Andy Coulson, como seu assessor de imprensa, a despeito de ter sido aconselhado a não fazê-lo.

Cameron vem sofrendo forte pressão da oposição trabalhista sobre as supostas ligações inapropriadas entre alguns de seus assessores e o grupo News International.

O primeiro-ministro disse em seu depoimento que nunca manteve acordos ocultos com a imprensa e que nunca aprovou medidas em troca de apoio da mídia.