Primeiro-ministro de Tuvalu aponta para risco de desaparecimento do arquipélago

O primeiro-ministro de Tuvalu, Willy Telavi, defendeu a necessidade de proteção dos oceanos para evitar desastres naturais e, em última instância, o desaparecimento do arquipélago do mapa.

A declaração foi dada nesta quarta-feira durante pronunciamento na Rio+20, a conferência das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável.

Telavi afirmou que o pequeno país, localizado na Polinésia, registrou a maior seca da história no ano passado, segundo ele, resultado do aquecimento global.

Formado por nove atóis, o arquipelágo é um dos menores países do mundo, com apenas 26 km² e menos de 13 mil habitantes.

Segundo especialistas, Tuvalu corre sério risco de desaparecimento com o aumento no nível dos oceanos.