Líbia liberta advogados do Tribunal Penal Internacional

Após praticamente um mês de detenção na Líbia, quatro funcionários do TPI (Tribunal Penal Internacional) foram soltos por autoridades locais e autorizados a deixar o país.

Autoridades da cidade de Zintan acusaram o grupo de comprometer a segurança do país durante uma visita a Saif al-Islam, o filho do líder deposto Muammar Gaddafi, em uma unidade prisional onde ele aguarda julgamento.

As autoridades líbias afirmaram ter achado "documentos suspeitos" com um dos advogados do TPI.

A organização internacional e o governo líbio disputam o direito de julgar Saif al-Islam por supostos crimes de guerra cometidos durante a repressão ao levante que destituiu seu pai no ano passado.