Fazendeiro boliviano morre em meio a protestos contra mina canadense

Um fazendeiro boliviano morreu nesta sexta-feira em meio a protestos contra uma mina que pertence a uma empresa canadense na região de Malku Khota.

Autoridades locais disseram que o homem morreu ao entrar em confronto com policiais enviados à região, mas um ministro do gabinete do presidente Evo Morales negou, dizendo que um cinto de dinamites foi a causa da fatalidade.

"Os policiais enviados à área não estavam armados. De acordo com relatos de médicos locais, o fazendeiro que morreu tinha dinamites presos à sua cintura. Ele estava bêbado e um deles foi acionado, o matando", disse o ministro Carlos Romero.

A South American Silver Corporation, empresa canadense que opera a mina desde 2007, diz que já investiu cerca de US$ 50 milhões no local.

Indígenas locais que protagonizam as manifestações exigem que Morales cancele as concessões dadas à mineradora estrangeira, que devem durar mais três anos, citando preocupações ambientais.