Presidente egípcio anula decisão da Corte Suprema e restitui o Parlamento

O presidente egípcio Mohammed Mursi decidiu reunir novamente o Parlamento do país, um mês depois de sua dissolução.

A Corte Suprema do Egito havia decidido pela inconstitucionalidade do Parlamento depois que membros de partidos reivindicavam assentos reservados para representantes independentes. O Exército, que estava no poder no país, impôs a decisão.

Mas Mursi - membro da Irmandade muçulmana, que tem a maioria parlamentar - disse que o órgão deve voltar a funcionar até uma nova eleição.

Segundo analistas, sua decisão será considerada um desafio ao Exército.

A mídia estatal afirma que Mursi anulou a decisão da Corte com um decreto. Ele chegou à presidência após vencer as primeiras eleições livres no país após a queda de Hosni Mubarak, que aconteceram no mês passado.

No entanto, antes da eleição, a junta militar que governava o país retirou do presidente qualquer autoridade sobre o Exército.