Israel derruba a isenção de judeus ultraortodoxos e árabes do Exército

O partido governante de Israel, Likud, aprovou por unanimidade um plano que acabaria com as isenções ao serviço militar dos judeus ultraortodoxos e dos árabes israelenses.

A questão é polêmica em Israel, onde milhares de pessoas que serviram no Exército se manifestaram para pedir que a responsabilidade seja compartilhada entre todos os cidadãos do país.

Após a votação, o governo afirmou que o presidente Binyamin Netanyahu chegou a um acordo com o líder do partido Kadima, Shaul Mofaz, que participa da coalizão do governo, para criar uma comissão que elabore a proposta de uma nova lei de recrutamento.