Presidente da Colômbia nega que Farc possam ter derrubado avião militar

Juán Manuel Santos | Foto: AFP Direito de imagem AFP
Image caption Declarações de presidente Juán Manuel Santos chegam um dia após queda de avião militar

O presidente colombiano, Juán Manuel Santos, rejeitou nesta quinta-feira que as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) possam ter derrubado avião militar que desapareceu ainda na quarta-feira e foi encontrado nesta tarde no Departamento (Estado) de Cauca.

"A verdade sobre isso é que ainda não sabemos, nesse momento, exatamente o que aconteceu", disse o líder, acrescentando que é “muito improvável que o avião tenha sido abatido pela guerrilha”.

As declarações chegaram pouco depois de as autoridades anunciarem terem encontrado os restos da aeronave.

O desaparecimento do Super Tucano A-29, fabricaFPdo no Brasil, foi anunciado na noite de quarta-feira pela Força Aérea da Colômbia.

A aeronave transportava dois tripulantes e sobrevoava o departamento de Cauca - onde ocorreram os mais recentes choques entre as Farc e o governo.

Na tarde de ontem, um suposto guerrilheiro das Farc também teria comunicado à imprensa local que a guerrilha teria derrubado a aeronave.

De acordo com o comunicado, o piloto e o copiloto teriam morrido na queda do avião. As Farc chegaram a informar a região onde estariam os corpos dos oficiais, perto do município de Jambaló (sudoeste do país), a 542 km de Bogotá.

A tripulação do avião fazia parte do Comando Militar de Transporte Aéreo 3, com sede em Cali. Eles foram até a região para apoiar a operação militar durante a visita do presidente Santos. O super-tucano é ideal para atacar tropas de infantaria e por isso é usado em operações de contrainsurgência.