Mãe de Assange se reunirá com governo do Equador

Christine Assange, mãe de Julian Assange, fundador do Wikileaks, se reunirá na próxima segunda-feira na capital do Equador, Quito, com o ministro de Relações Exteriores do país, Ricardo Patiño.

"A Senhora Assange visita o Equador na semana de 30 julho a 4 agosto, a fim de expor as autoridades equatorianas a situação enfrentada por seu filho e o impacto dela sobre sua família, a partir dos documentos publicados pelo site Wikileaks", informou o comunicado divulgado pelo Ministério de Relações Exteriores do Equador.

O australiano de 40 anos se refugiou na embaixada do Equador em Londres no dia 19 de junho deste ano, quando anunciou sua intenção de pedir asilo político no país governado por Rafael Correa.

Assange quer evitar a todos custo ser enviado para a Suécia, onde é investigado por assédio sexual com base em depoimentos de duas ex-voluntárias do Wikileaks. Ele nega as acusações.

O ativista acredita que se for enviado para o país escandinavo será, posteriormente, entregue às autoridades dos Estados Unidos.

Lá, segundo Assange, poderia encarar a possibilidade de ser condenado à morte sob a acusação de traição pela publicação de milhares de documentos secretos, incluindo relatos sobre a guerra no Iraque e no Afeganistão.