Tribunal de Justiça de SP reconhece coronel Ustra como torturador

Atualizado em  14 de agosto, 2012 - 17:02 (Brasília) 20:02 GMT

O Tribunal de Justiça de São Paulo negou nesta terça-feira recurso do coronel da reserva Carlos Alberto Brilhante Ustra que buscava reformular a sentença que o reconhece como responsável por praticar torturas durante o regime militar.

Ustra comandou o Doi-Codi (Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna) em São Paulo entre 1970 e 1974.

A ação contra o coronel foi movida pela família Teles. Em 1972, Maria Teles, o marido, Cesar Teles, e a irmã, Crimeia, foram presos e torturados no Doi-Codi. Os filhos do casal também ficaram em poder dos militares.

A decisão do TJ foi tomada por unanimidade. Ainda cabe recurso.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.