Líbia diz ter detido suspeitos por ataque a consulado dos EUA

Atualizado em  13 de setembro, 2012 - 16:30 (Brasília) 19:30 GMT

O novo premiê da Líbia, Mustafa Abu Shaqur, afirmou nesta quinta-feira que a polícia do país deteve diversas pessoas suspeitas de participação no ataque ao consulado americano em Benghazi.

O ataque, na noite de terça-feira, resultou na morte do embaixador americano John Christopher Stevens e de outras três pessoas. Homens armados não-identificados invadiram o prédio da representação americana, disparando tiros e bombas, antes de atear fogo ao local. Stevens teria morrido sufocado no incêndio.

O prédio ficou completamente destruído após o ataque. Autoridades investigam a possibilidade de o atentado ser uma ofensiva coordenada de militantes islâmicos.

A investida teria sido uma consequência da onda indignação surgida em alguns países islâmicos após a circulação, pela internet, de trechos de um filme que supostamente insulta o profeta Maomé.

Shaqur disse à BBC que a investigação do episódio está "progredindo". Ele agregou que não quer que o caso prejudique a relação entre a Líbia e os EUA.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.