Ataque dos EUA com drones no Paquistão ignora morte de civis, diz relatório

Atualizado em  25 de setembro, 2012 - 08:53 (Brasília) 11:53 GMT

Um relatório americano sobre o uso de drones (aviões não tripulados) contra militantes no noroeste do Paquistão revelou que o governo dos Estados Unidos desconhece a extensão dos danos causados pelos ataques, especialmente em relação à morte de civis.

O levantamento - coordenado pelas Universidades de Stanford e de Nova York - mostrou que há evidência de que integrantes de equipes de resgate foram mortos ou feridos por sucessivas investidas em uma única localidade no país.

Os ataques, segundo informou a pesquisa, também atrasam a chegada dos paramédicos ao local dos incidentes.

O relatório apontou, ainda, que os alvos dos drones são, em sua maioria, militantes de baixo escalão e não de alta patente.

Impacto nas tribos

O estudo destaca as consequências dos ataques dos drones nos civis na região tribal do Paquistã. Os responsáveis pela pesquisa constataram que as investidas provocam não só um grande impacto econômico nessas localidades, mas também afetam o lado psicológico dos seus habitantes.

Alguns adultos evitam reunir-se em grupos numerosos com medo de bombardeios e têm retirado as crianças das escolas.

Para os médicos, sob níveis constantes de ansiedade, os moradores das áreas em risco podem sofrer sintomas relacionados ao stress, desde insônia a problemas de digestão e de respiração.

Segundo o testemunho de um jornalista, as crianças da região estão em estado permanente de medo.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.