Condenado, Genoino deixa cargo no Ministério da Defesa

Atualizado em  10 de outubro, 2012 - 12:52 (Brasília) 15:52 GMT
Jose Genoino. ABr

Genoino voltou a alegar inocência durante renúncia a cargo no Ministério da Defesa

O ex-presidente do PT, José Genoino, anunciou nesta quarta-feira sua renuncia ao cargo de assessor especial do Ministério da Defesa, um dia após ser condenado pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Genoino anunciou sua renúncia no diretório nacional do PT em São Paulo, onde leu o que chamou de "Carta Aberta ao Brasil". Ele se disse "vítima de uma injustiça monumental".

Durante o julgamento da Ação Penal 470, conhecida como "mensalão", Genoino foi acusado de negociar o apoio de partidos aliados em troca de dinheiro.

Na carta, Genoíno disse que sua condenação "trata-se de uma brutal inversão dos valores básicos da Justiça e de uma criminalização da política".

"Esse julgamento ocorre em meio a uma diuturna e sistemática campanha de ódio contra o meu partido e contra um projeto político exitoso, que incomoda setores reacionários incrustados em parcelas dos meios de comunicação, do sistema de Justiça e das forças políticas que nunca aceitaram a nossa vitória", disse.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.