ONU pede à China que atenda demandas de tibetanos

Atualizado em  2 de novembro, 2012 - 15:03 (Brasília) 17:03 GMT

O Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (EACDH) pediu à China para atender as demandas da tibetanos, que vêm aumentando o número de protestos com imolações nos últimos anos.

Cerca de 60 pessoas já atearam fogo ao próprio corpo desde 2009 como retaliação à política do governo chinês no Tibete.

A alta-comissária Navi Pillay disse que houve um aumento alarmante deste tipo de protesto e reconheceu a frustração e desespero que levaram os tibetanos a tomar medidas extremas.

Pillay afirmou, ainda, que estava preocupada com relatos de prisões e desaparecimentos bem como as limitações impostas aos direitos culturais dos tibetanos.

"Estou impressionada com as alegações contínuas de violência contra os tibetanos que simplesmente querem desfrutar de seus direitos fundamentais como a liberdade de expressão, religião e associação", disse ela em um comunicado.

"Tive várias conversas com as autoridades chinesas sobre estas questões. A China deve fazer mais para proteger os direitos humanos e evitar violações. Exorto o governo chinês a respeitar o direito à liberdade de associação e de expressão e para libertar todos os detidos exclusivamente por causa do exercício de tais direitos ", acrescentou.

Recentemente, a China bloqueou o acesso a algumas áreas tibetanas e enviou forças de segurança adicionais em uma tentativa de evitar a disseminação dos protestos.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.