Presidente egípcio dialoga com juízes para tentar conter crise no país

Atualizado em  26 de novembro, 2012 - 22:01 (Brasília) 00:01 GMT

O presidente do Egito, Mohammed Mursi,dialogou nesta segunda-feira com juízes de seu país, na tentava de pôr fim a uma crise causada por um decreto que amplia os poderes presidenciais.

Mursi disse que o decreto será mantido, mas em escopo limitado e apenas para "assuntos soberanos" de proteção das instituições egípcias, informou seu porta-voz.

O decreto tem provocado violentos protestos no Egito. Um está previsto para esta terça-feira.

A Irmandade Muçulmana, partido de Mursi, tinha planejado uma manifestação própria, em apoio ao presidente, mas adiou alegando que não quer aumentar as tensões no país.

Mursi se reuniu durante cinco horas com membros da Suprema Corte. O porta-voz Yasser Ali disse que a mensagem presidencial passada no encontro é de que a independência judiciária será respeitada.

Ali informou também que não haverá novos julgamentos de oficiais que trabalharam para o ex-presidente Hosni Mubarak (derrubado pela Primavera Árabe no ano passado), até que novas provas sejam apresentadas.

Líderes proeminentes da oposição, como o Nobel da Paz Mohamed ElBaradei, afirmam que só dialogarão com o governo se o presidente recuar em seu decreto - o qual determina que nenhuma autoridade possa revocar as decisões presidenciais.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.