Franceses são condenados por sequestro de crianças africanas

Atualizado em  12 de fevereiro, 2013 - 17:54 (Brasília) 19:54 GMT
Franceses condenados / AFP

Franceses foram condenados a dois anos de prisão por sequestro de crianças africanas

Dois funcionários de uma instituição de caridade francesa foram condenados nesta terça-feira a dois anos de prisão por tentar trazer 103 crianças africanas ilegalmente do Chade para a França em 2007.

Éric Breteau, que fundou a organização 'Arche de Zoé', e sua sócia, Émilie Lelouch, foram julgados à revelia, mas apareceram em um tribunal de Paris para ouvir o veredicto.

Quatro outros membros do grupo receberam sentenças que variam de seis meses a um ano de prisão.

A entidade também foi multada em 100 mil euros (R$ 265 mil) e dissolvida.

Inicialmente, as investigações apontaram que as crianças seriam órfãs da região de Darfur, no Sudão, mas, na prática, eram em sua maioria do Chade e tinham família.

Em um caso que chocou a França, os réus foram presos no país africano enquanto tentavam embarcar as crianças em um avião com destino à França em 2007.

Naquele mesmo ano, eles haviam sido condenados a oito anos de trabalhos forçados por um tribunal na capital do Chade, N'Djamena, mas foram repatriados depois de terem recebido um perdão do presidente daquele país em março de 2008.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.