Próximas horas decidirão destino do Chipre, diz governo

As próximas horas decidirão o destino do Chipre, declarou na manhã desta sexta um porta-voz do governo Christos Stylianides.

Com seu sistema financeiro à beira da falência, o pequeno país europeu tenta encontrar uma forma de cumprir as exigências da troica (Banco Central Europeu, FMI e Comissão Europeia) para receber um pacote de resgate.

O Parlamento cipriota, que rejeitou cobrar uma taxa única dos investidores com dinheiro em banco, agora debate planos para levantar 5,8 bilhões de euros, exigidos como contrapartida a um resgate de 10 bilhões de euros. O governo do país instou os parlamentares a "tomar grandes decisões" para evitar o colapso financeiro.

A chanceler (premiê) alemã, Angela Merkel, advertiu que a paciência dos membros da zona do euro está se esgotando com o Chipre.

Por conta das incertezas, o comércio cipriota está realizando transações apenas em dinheiro vivo, rejeitando cartões de crédito e cheques.