Chipre diz ter feito 'progresso significativo' para obter acordo

O ministro das Finanças do Chipre, Michael Sarris, diz que seu país fez um ''progresso significativo'' nas negociações com a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI), a fim de obter um acordo que possibilite ao país receber um pacote de auxílio econômico.

Sarris também afirmou que o governo cogita cobrar taxas de até 25% sobre depósitos de mais de 100 mil euros (R$ 260 mil) feitos no país.

O Chipre precisa levantar um total de 5,8 bilhões de euros até segunda-feira para garantir um empréstimo de 10 bilhões de euros.

O Parlamento cipriota aprovou um plano de restruturação dos bancos do país, entre outras medidas.

Mas no início desta semana, havia rejeitado uma proposta de impor uma taxa sobre transações bancárias de valores abaixo de 100 mil euros.

Neste sábado à tarde, mil funcionários de bancos cipriotas marcharam, em protesto, até o Ministério das Finanças do país, parando também em frente ao Palácio Presidencial.

Muitos manifestantes protestavam contra a pressão que vem sendo exercida pela União Europeia no sentido de que o país adote medidas duras para angariar fundos.