Após votarem, Capriles e Maduro fazem referência à participação dos eleitores

Image caption Maduro e Capriles votaram na tarde deste domingo em Caracas

Os dois candidatos à presidência venezuelana, Nicolás Maduro e Henrique Capriles, votaram na tarde deste domingo em Caracas e fizeram referência à participação dos eleitores - o voto não é obrigatório no país.

O primeiro a votar foi o candidato da oposição, Henrique Capriles, que fez um apelo para que os eleitores saíssem de casa e fossem às urnas.

"Que comece agora a avalanche em que todos saiam para votar. Estudantes, ao voto! Uma avalanche até o fechamento dos locais de votação", disse Capriles, após votar no Colégio Santo Tomás de Villanueva, no bairro de Mercedes.

O opositor ainda reclamou de alguns "tropeços" durante a votação e exortou os eleitores a se transformarem em "repórteres", para denunciar irregularidades.

Já o candidato e presidente em exercício, Nicolás Maduro, votou pouco tempo depois, no colégio Miguel Antonio Caro. Segurando uma imagem de Cristo, Maduro afirmou que o índice de participação na votação até o momento era "fabuloso".

"Estamos quebrando recordes de participação", disse. "Se eu tivesse uma máquina dos sonhos, eu apertaria um botão e pediria que 100% dos eleitores votassem. Ninguém tem desculpas para não ir votar - há opções e há democracia também."

De acordo com as autoridades locais, exceto por alguns atrasos, a votação no país transcorre normalmente.

Com informações de Pablo Uchoa, enviado especial da BBC Brasil a Caracas.