Venezuela promete resposta 'comercial e energética' a eventual sanção dos EUA

O chanceler venezuelano, Elías Jaua, disse nesta segunda-feira que seu país responderá nos âmbitos comerciais e energéticos a eventuais sanções dos EUA à Venezuela, informa a agência EFE.

A declaração foi uma resposta a uma entrevista da secretária-assistente de Estado dos EUA, Roberta Jacobson, que no final da semana disse à emissora CNN em Espanhol que o conselho eleitoral venezuelano adiantou-se ao proclamar Nicolás Maduro vencedor das eleições presidenciais de 14 de abril e que metade dos venezuelanos não confia no resultado.

Questionada se os EUA imporiam sanções à Venezuela caso o país se recusasse a recontar os votos, Jacobson não respondeu nem sim nem não.

Mas o governo venezuelano elevou a retórica contra o país, classificando a fala de Jacobson como "grosseira" e uma "ingerência".

"Se os EUA apelarem para sanções econômicas ou de outra índole, tomaremos as medidas de ordem comercial, energética, econômica e política que consideremos necessárias para responder de maneira contundente a essa ameaça inaceitável", declarou Jaua.

Ao mesmo tempo, o conselho eleitoral deve realizar nos próximos dias uma auditoria nos votos dos venezuelanos, realizados em urnas eletrônicas.