Cineasta dos EUA é indiciado na Venezuela por conspiração

Um cineasta americano acusado de fomentar a violência pós-eleitoral na Venezuela foi formalmente indiciado por um tribunal de Caracas neste domingo.

Timothy Tracy, da Califórnia, é acusado de conspiração, associação para fins criminosos e uso de documentos falsos.

Um juiz ordenou que Tracy permaneça na prisão até segunda ordem.

Amigos do cineasta dizem que ele estava na Venezuela para trabalhar em um documentário e que não tem objetivos políticos.

O governo americano também afirmou que ele é inocente.

Nove pessoas morreram e dezenas ficaram feridas nos protestos após a eleição presidencial realizada há duas semanas, cujo resultado foi contestado pela oposição.