Polícia ocupa favelas para implantar a 33ª UPP do Rio

Policiais em favela do Cerro-Cora, no Rio. Foto Marcelo Horn Governo do Rio. Dia 29 de abril.
Image caption Favelas no bairro do Cosme Velho foram ocupadas por 400 homens.

Cerca de 400 homens da Polícia Militar ocuparam na manhã desta segunda-feira as favelas do Cerro-Corá, Guararapes e Vila Cândido, no bairro do Cosme Velho, zona sul do Rio, para implantar a 33ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Estado.

De acordo com o governo do Estado, as forças policiais levaram cerca de 30 minutos para dominar os territórios e não teriam enfrentado resistência por parte de traficantes.

A ocupação das comunidades - que ficam nas proximidades da entrada do Cristo Redentor – acontece pouco menos de três meses antes da visita que o papa Francisco fará ao Brasil como parte da programação da Jornada Mundial da Juventude, que deve trazer cerca de 2 milhões de jovens católicos ao Rio de Janeiro.

Após a ocupação, as forças de segurança realizaram operações de busca de criminosos e apreensão de armas, drogas e objetos roubados. A UPP Cerro-Corá contará com um efetivo fixo de 190 homens e deve ser instalda em cerca de um mês.

De acordo com informações divulgadas pelo governo do Rio, as autoridades esperam que a ocupação resulte em uma diminuição gradual no número de roubos a pedestres e de veículos na região. Segundo o governo, com a pacificação de outras regiões da zona sul, ciminosos haviam buscado refúgio da comunidade do Cerro-Corá.

“São comunidades que sofriam dois tipos de de problema: o poder paralelo, com um nível de tensão menor que em outros lugares (...) e o refúgio de ilícitos cometidos”, disse o governador, Sergio Cabral.

Dados do Instituto Pereira Passos com base no Censo de 2010 apontam que 2.803 pessoas vivem nas comunidades ocupadas nesta segunda-feira.