Emojis: Como um mesmo símbolo pode significar parabéns e sexo em diferentes culturas

Mulher representa emoji Direito de imagem BBC Future
Image caption Emojis têm sido descritos como 'a primeira forma verdadeiramente universal de comunicação', mas o significado que você atribui a ele pode ser influenciado por sua cultura

O dia do casamento pode ser um dos momentos mais intensos e difíceis de se expressar em emoções. Por isso que, no grande dia do tenista Andy Murray, campeão olímpico e de Wimbledon, o tuíte que ele escreveu para tentar captar esses sentimentos viralizou.

Em vez de palavras, Murray só usou emojis. Uma longa lista deles - desde arrumar-se de manhã para ir à igreja até a troca de alianças, a maratona de fotografias, a celebração, os comes e bebes, o amor e muito sono.

Publicado em 2015, o tuíte do tenista vinha na esteira de uma nova forma de comunicação.

Professores de linguística como Vyvyan Evans - autor de The Emoji Code: The Linguistics behind Smiley Faces and Scaredy Cats ("O Código Emoji: A linguística por trás das carinhas sorridentes e dos gatos assustados", em tradução livre) - profetizaram o surgimento dos emojis como a "primeira forma verdadeiramente universal de comunicação do mundo" e até como "a nova linguagem universal".

Em 2017, contudo, o especialista em psicologia de negócios Keith Broni foi contratado pela Today Translations como o primeiro tradutor de emojis do mundo.

Se essa era uma linguagem universal, por que alguém precisaria traduzi-la?

Direito de imagem Reprodução
Image caption Andy Murray faz comentário com emojis no Twitter

Broni afirma que isso acontece porque os emojis não são "universais" e nem uma "linguagem". Eles são, "no máximo, uma ferramenta linguística usada para complementar a linguagem".

Em outras palavras, os emojis não constituem e não podem, sozinhos, constituir um código de comunicação significativo entre duas partes. Em vez disso, são usados como uma maneira de melhorar textos e mensagens de redes sociais, como uma espécie de pontuação adicional.

Expressar emoções

Isso não necessariamente diminui o valor dos emojis. Broni avalia que, na era moderna, eles resolvem um problema que tem assombrado a prosa desde tempos imemoriais. As limitações inerentes à escrita privaram todos, exceto os escritores mais talentosos, da capacidade de expressar nuances, tons e emoções em suas correspondências.

O que os emojis oferecem é uma chance ao escritor médio, seja de email, SMS ou post de mídia social, para que expresse emoções e empatia em suas mensagens. Com os emojis, eles podem fazer isso de forma tão simples e natural quanto usar uma expressão facial ou gesto ao conversar com alguém pessoalmente.

Direito de imagem BBC Future
Image caption Sem emoji, uma mensagem de uma linha corre o risco de ser mal interpretada como negativa, mandona ou até mesmo rude

O momento do aumento da popularidade dos emojis também não é coincidência.

À medida que nossas comunicações eletrônicas se tornaram mais curtas e rápidas, mais parecidas a frases que soltaríamos em uma conversa, há uma necessidade crescente de se incluir sentimentos e emoções a essas mensagens. Caso contrário, sem um sorriso ou tom de voz simpático, uma mensagem de uma linha corre o risco de ser mal interpretada como negativa, mandona ou até rude.

Ainda assim, confiar demais em emojis para fechar essa lacuna pode causar outros problemas. Todos nós temos acesso a mais ou menos os mesmos emojis no teclado do smartphone, mas o que queremos dizer quando os usamos varia muito, dependendo da cultura, linguagem e geração.

Embora o símbolo do polegar para cima possa ser um sinal de aprovação na cultura ocidental, tradicionalmente na Grécia e no Oriente Médio ele é interpretado como vulgar e até ofensivo.

Direito de imagem BBC Future
Image caption Os emojis de aplausos são usados no Ocidente para fazer elogios ou dar parabéns. Na China, no entanto, é um símbolo para 'fazer amor'

Da mesma forma, na China, o emoji do anjo, que no Ocidente pode denotar inocência ou o fato de se ter realizado uma boa ação, é usado como sinal de morte e pode ser visto como ameaçador.

Já os emojis de aplausos são usados no Ocidente para fazer elogios ou dar parabéns. Na China, no entanto, este é um símbolo para "fazer amor", talvez devido à sua semelhança com os sons "pah pah pah" (啪啪啪).

Mas talvez o mais confuso é que, na China, o emoji ligeiramente sorridente não é usado como um sinal de felicidade. Como é de longe o menos entusiasta da variedade de emojis positivos disponíveis, o uso deste emoji representa desconfiança, descrença, ou até mesmo que alguém esteja te incomodando.

Direito de imagem BBC Future
Image caption Unindo as palmas das mãos não é necessariamente associado à oração, embora no Ocidente o símbolo carregue importância religiosa

Um bom indicador da falta de universalidade entre o uso de emojis foi destacado por um estudo sobre como os muçulmanos expressaram seus pensamentos sobre o Ramadã em 2017.

Hamdan Azhar, do prismoji.com, mostrou que os tuítes com o #ramadan em inglês, alemão, espanhol e turco tinham mais chances de conter o emoji de coração vermelho. No entanto, em árabe, urdu e farsi, o emoji mais usado foi a lua crescente.

Diferenças culturais

Igualmente, em inglês, francês, alemão, espanhol, turco, farsi e indonésio, os emojis de mãos entrelaçadas ficaram consistentemente entre os três primeiros de todos os emojis usados, enquanto que, em árabe, eles ficaram em nono lugar e não estavam entre os emojis mais comumente empregados em urdu.

Esse seja talvez um indicador de que unir as palmas das mãos não seja associado à oração islâmica, embora no Ocidente o símbolo tenha forte significado religioso. No Japão, onde os emojis tiveram origem, o símbolo é usado como "por favor" ou "obrigado", sem necessariamente evocar conotações religiosas.

Direito de imagem BBC Future
Image caption Com pessoas conscientes do contexto cultural, os emoji têm o poder de aproximar o mundo

A forma como nossos emojis são interpretados também já provocou problemas legais.

Considere o caso de Israel no início de 2018: após ver uma propriedade, os potenciais inquilinos enviaram uma mensagem ao proprietário com uma série de emojis comemorativos.

Os futuros inquilinos recuaram do aluguel, mas o proprietário já havia retirado a propriedade do mercado. Um juiz decidiu que os emojis eram suficientes para denotar a intenção de alugar a residência - e determinou o pagamento de 8.000 shekels (cerca de US$ 2.000 ou R$ 7.360) de danos e honorários legais.

No entanto, desde que as pessoas fiquem atentas ao contexto cultural, Keith Broni ainda acredita que os pequenos pictogramas têm o poder de aproximar o mundo, em vez de distanciá-lo.

E conclui: "Os prós superam os contras. Desde que tenhamos consciência das armadilhas epistemológicas que os emojis trazem à tona, podemos usá-los para tirar a ambiguidade de certas palavras e apreciar a intenção emocional da mensagem de uma maneira que nunca tinha sido possível antes".

Leia a versão original desta reportagem (em inglês) no site BBC Future.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas