Taiwan, a ilha que não para de pedir desculpas

Taiwan Direito de imagem Sean Pavone/Alamy
Image caption A cultura 'buhaoyisi' revela muito sobre a modéstia e a timidez do povo de Taiwan

Yun-Tzai Lee e Joanne Chen são um daqueles casais irritantes que terminam as frases um do outro, andam de mãos dadas e não se cansam de ser fofos. Mas dizer "eu te amo" não é tão fácil para Lee. O rosto dele fica vermelho como um pimentão diante da simples ideia de proferir a frase, e faz com que ele se sinta buhaoyisi - uma das muitas maneiras de dizer que está envergonhado ou pedir desculpas em Taiwan.

"A maioria das pessoas aqui vai se sentir assim", afirma Lee.

Bem-vindo ao minado campo linguístico dos pedidos de desculpa em Taiwan, onde apenas dizer buhaoyisi pode abrir uma caixa de Pandora de boas maneiras.

A palavra é composta de quatro caracteres que são traduzidos literalmente como "sentido ruim" ou "mau pressentimento", e serve como uma solução que pode ser aplicada a todos os tipos de situações - como chamar gentilmente a atenção de um garçom, pedir desculpas ao chefe ou corar na hora de fazer uma declaração de amor.

Buhaoyisi está sempre na boca dos taiwaneses, segundo Chia-ju Chang, professora de chinês da Universidade Brooklyn College em Nova York, nos EUA.

"Nós usamos o tempo todo, já que Taiwan tem uma cultura oralmente gentil. Usamos quando interrompemos alguém ou pedimos um favor. Podemos usar até para iniciar uma conversa."

A expressão costuma ser pronunciada tão rápido que pode soar como uma mistura de consoantes ou algo sem sentido para ouvidos desavisados. E diferentemente de entschuldigung em alemão ou excuse me em inglês, traduzir buhaoyisi não é uma tarefa simples, explica Ouyu Yang, professor do departamento de língua chinesa da Universidade Nacional de Taiwan.

A noção ocidental de "desculpa" é muito limitada para expressar todas as graças sociais e boas maneiras que pesam sobre essa expressão tão rica; buhaoyisi também pode ser um sentimento, uma sensação, um código de conduta e todo um sistema de pensamento que permeia a cultura taiwanesa.

Direito de imagem Keitma/Alamy
Image caption Dizer 'buhaoyisi' em Taiwan pode abrir uma caixa de Pandora de boas maneiras

Ao andar de metrô na capital Taipei você vai ouvir uma profusão desarmônica de buhaoyisi, pela simples consideração dos passageiros ao esbarrar sem querer em alguém. Nas salas de aula, escutará os alunos começarem e terminarem cada pergunta com buhaoyisi, expressando um sentimento de dívida e gratidão, mesmo que a discussão continue.

Quando abrir um e-mail, a primeira frase que você vai ler geralmente será buhaoyisi, o que significa "desculpe incomodá-lo", mesmo para os menores favores. E se um primo querido te der um presente, a resposta correta não é "obrigada", mas buhaoyisi pelo inconveniente que causei a você.

Para os leigos que vêm de fora, Taiwan pode parecer o país mais indulgente do mundo, uma nação obcecada em pedir desculpas - mas, na verdade, a cultura do buhaoyisi revela muitos aspectos ocultos da timidez e modéstia do povo da ilha.

Décadas de colonização japonesa, junto aos ensinamentos morais do confucionismo (sistema filosófico chinês), desempenharam um papel importante na formação da enraizada cultura de pedidos de desculpas que se vê (e ouve) hoje em Taiwan, de acordo com Khin-huann Li, professor emérito de sociolinguística da Universidade Nacional de Taiwan.

Embora a origem exata da expressão seja desconhecida, Li e outros linguistas acreditam que seja em grande parte produto da concepção milenar confucionista de harmonia, que se concentra na manutenção de relações interpessoais, em vez de individuais.

Direito de imagem James Brooks/Alamy
Image caption 'Usamos ('buhaoyisi') quando interrompemos alguém ou pedimos um favor. Até para iniciar uma conversa', diz Chia-ju Chang

Preservar a coesão social a todo custo ainda é o alicerce da moral social taiwanesa. Ou seja: colocar o clã maior, a sociedade, antes de você, o indivíduo, é fundamental.

Além disso, parte do costume buhaoyisi é fortemente influenciado pela cultura sumimasen de desculpas do Japão - uma vez que ambos os países dividem um passado em comum (a ilha foi uma colônia nipônica).

Em geral, o hábito de dizer buhaoyisi costuma fazer com que os confrontos não ganhem proporções ainda maiores, afirma Li.

"A cultura taiwanesa tradicional é assim - mais delicada e pensa nas outras pessoas, tentando manter relações civilizadas com os outros", explica.

Por um lado, a expressão carrega um ar de submissão e decoro, mas por outro, também demonstra a inigualável gentileza taiwanesa. É por isso que, para o turista, pedir desculpas em chinês pode virar facilmente em um campo linguístico minado.

Quando estiver em dúvida, aconselha Li, opte sempre pelo caminho mais seguro e diga apenas buhaoyisi; é provável que eles respondam buhaoyisi de volta. É a regra tácita nas ilhas de Taiwan.

Li também sugere que a cultura buhaoyisi de Taiwan é única, em comparação ao resto do mundo de língua chinesa. É bem comum ouvir buhaoysi pelas ruas de Taipei, mas é menos provável que você escute a expressão sendo usada da mesma maneira na China ou na Malásia, que colocam menos ênfase nos princípios de polidez.

De acordo com o índice Expat Insider da InterNations, comunidade online de expatriados, Taiwan é classificado constantemente como um dos países mais amigáveis do mundo. Cerca de 90% dos expatriados da ilha deram notas altas aos taiwaneses pela hospitalidade, em comparação com uma média de 65% no restante dos países pesquisados.

Direito de imagem WorldFoto/Alamy
Image caption Décadas de colonização japonesa, e de ensinamentos morais do confucionismo, desempenharam papel importante na formação da cultura 'buhaoyisi'

Atualmente, mais de um terço dos expatriados pensa em ficar para sempre na pequena ilha do Pacífico, segundo o levantamento, que ouviu mais de 12,5 mil entrevistados em todo o mundo. O segredo para atrair as pessoas para as exuberantes ilhas tropicais de Taiwan? Nenhum, apenas a gentileza.

No entanto, de acordo com o farmacêutico Jieru You, de 25 anos, que mora na cidade portuária de Kaohsiung, a bela narrativa de que Taiwan é líder mundial em simpatia pode ser falsa, ou pelo menos não oferece o panorama completo.

Ter que se diminuir e se desculpar constantemente por pequenos inconvenientes - e muitas vezes por sua mera presença - pode acabar fazendo mais mal do que bem. E, ironicamente, pedir permissão para ir e vir o tempo todo pode ser desnecessariamente incômodo - mais para você mesmo do que para qualquer outra pessoa.

"Ao fazer um pedido para outra pessoa, o povo de Taiwan costuma usar buhaoyisi como introdução para expressar seu desejo de pedir ajuda a partir de uma posição de submissão", avalia Jieru You. Na verdade, ele já estava se sentindo um pouco buhaoyisi - envergonhado de ser entrevistado - antes de se aprofundar em seus pensamentos.

O conceito de "manter a reputação" é levado a sério em Taiwan. Imagine um tabuleiro de xadrez de trocas sociais, em que os movimentos de cada pessoa afetam o da próxima. A reputação, neste caso, é a moeda social que permite fazer amigos e promover conexões profissionais que podem levar você ao seu próximo emprego, a um investimento na sua empresa ou até mesmo a conhecer sua futura esposa ou marido.

Sem uma "reputação", é menos provável que as pessoas confiem em você ou te ajudem a progredir na vida. O objetivo do jogo é proteger a si mesmo, sua autoimagem e dignidade, agradando aos outros e retribuindo seus atos de gentileza.

É por isso que Taiwan é avesso ao confronto. É um país que se esforça para evitar conflitos e preservar a harmonia a todo custo.

Em contrapartida, pessoas com "uma reputação frágil", ou seja, com moral social e status arranhados, tentam não incomodar os outros por medo de serem inconvenientes, e certamente porque não gostam de perder o respeito em público, acrescenta Yang.

Para ele, Taiwan está se afogando em um amontoado de pedidos de desculpas superficiais, onde dizer buhaoyisi é mais um hábito do que uma expressão com significado mais profundo. O resultado é pouco convincente, sem qualquer demonstração sincera de lamentação ou arrependimento.

Sem contar que, graças ao crescente isolamento global e ao mal-estar econômico da ilha, os taiwaneses sofrem da síndrome de guidao, ou da "ilha fantasma".

No cenário mundial, a identidade de Taiwan é muitas vezes mal interpretada, explica Wenhui Chen, professor de informática da Universidade Ming Chuan, que estuda o fenômeno da ilha fantasma.

Direito de imagem Keitma/Alamy
Image caption Taiwan é avesso ao confronto, se esforçando para evitar conflitos e preservar a harmonia a todo custo

Segundo ele, Taiwan costuma ser visto como um joguete entre a China e os EUA, flutuando sem muitas das armadilhas diplomáticas de um país oficialmente reconhecido.

Chen acredita que a cultura subserviente de Taiwan talvez não se revele tão frutífera no final e possa até levar à ruína da própria sociedade.

Mas nem todo mundo prevê um futuro tão sombrio para a ilha. Li enxerga a enraizada cultura buhaoyisi como parte importante da manutenção da paz - e se essa cultura desaparecer, também vai se perder uma tradição secular.

"Se a sociedade mantém esses conceitos e expressa essas palavras diariamente, pode ser mais educada, ética e conservadora."

"Se não, a sociedade se torna indelicada, imoral e agressiva demais. A cultura de Taiwan [deve] ser mantida nos termos da moralidade e da harmonia", acrescenta Li, encerrando com o "obrigatório" buhaoyisi.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Notícias relacionadas