Estátuas maias de 1,3 mil anos são encontradas no México

Atualizado em  7 de julho, 2011 - 16:54 (Brasília) 19:54 GMT

Player

Imagens seriam de guerreiros presos em combate e decapitados em seguida.

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

Arqueólogos no México descobriram estátuas de 1,3 mil anos que aparentemente representam guerreiros maias da cidade de Copán.

As esculturas foram encontradas no sítio arqueológico da cidade maia de Toniná (sul do México) – que, na época, estaria em guerra com Copán, que fica no atual território de Honduras.

Estátua maia

A estátua mostra um guerreiro seminu e em posição preparatória para a pena capital

As estátuas aparentemente reproduzem guerreiro capturados, com as mãos atadas às costas, em posição de humilhação, pouco antes de serem decapitados.

Os longos cabelos seriam usados para segurar-lhes a cabeça durante a execução.

Arqueólogos acreditam que os homens reproduzidos nas esculturas foram enviados de Copán para Tonina numa missão, mas acabaram presos e provavelmente mortos.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.