A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

EUA prometem punir soldados flagrados urinando em cadáveres no Afeganistão

Direito de imagem BBC World Service
Image caption No vídeo, pode-se ouvir um dos marines dizendo: 'Tenha um bom dia, amigo'

Autoridades em Washington se apressaram nesta quinta-feira para criticar os militares americanos que flagrados urinando em combatentes mortos do Talebã no Afeganistão e para conter os danos que o vídeo pode causar.

A secretária de Estado Hillary Clinton disse estar "totalmente consternada" com as imagens e que as atitudes dos fuzileiros navais "não condiziam com os valores americanos".

Já o secretário de Defesa, Leon Pannetta, telefonou para o presidente afegão, Hamid Karzai, prometeu punir severamente os envolvidos. Pelo menos dois dos quatro fuzileiros que aparecem no vídeo foram identificados, segundo um militar disse à BBC.

Constrangimento

Segundo o jornalista da BBC em Washington Steve Kingston, o oficial não confirmou o local onde estavam os fuzileiros, mas relatos sugerem que a unidade pertencia à base militar de Camp Lejeune, na Carolina do Norte.

Eles seriam de um batalhão que já teria atuado no Iraque, Afeganistão e em Guantánamo.

Para Kingston, o vídeo causa um grande constrangimento ao governo de Obama, que vem tentando projetar uma imagem mais sensível dos militares.

O presidente afegão também condenou as imagens. "O governo do Afeganistão está profundamente perturbado por um vídeo que mostra soldados americanos profanando corpos de três afegãos", informou o gabinete do presidente Hamid Karzai em uma declaração.

"Este ato de soldados americanos é simplesmente desumano e deve ser condenado nos termos mais fortes possíveis. Pedimos ao governo dos Estados Unidos para investigar com urgência o vídeo e aplicar a punição mais severa a qualquer um que seja considerado culpado deste crime", acrescentou a declaração.

YouTube

O vídeo teria sido gravado no Afeganistão e divulgado no site YouTube. As imagens também foram divulgadas pela rede de TV árabe Al-Jazeera e ainda não se sabe quem originalmente colocou o vídeo no YouTube.

O vídeo, de cerca de 40 segundos, mostra os quatro homens em uniformes de pé em frente a três corpos masculinos, no chão, de pele morena e roupas largas. Um deles parece estar coberto de sangue.

Uma voz pode ser ouvida ao fundo afirmando: "Tenha um bom dia, amigo".

Qari Yousuf Ahmadi, um dos porta-vozes do Talebã, disse à BBC que esta não é a primeira vez que americanos cometem um "ato de selvageria" e que os ataques do Talebã contra os americanos vão continuar.

Mas, outro porta-voz do grupo, Zabihullah Mujahid, afirmou que o vídeo "não é um processo político, então não vai afetar nossas negociações de paz e de troca de prisioneiros, pois elas estão em um estágio preliminar".

A missão liderada pela Otan no Afeganistão, a Isaf (Força Internacional de Assistência para Segurança, na sigla em inglês), afirmou que "condena as ações mostradas no vídeo, que parecem ter sido conduzidas por um pequeno grupo de indivíduos americanos, que, aparentemente, não estão mais servindo no Afeganistão".