A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Vídeo que mostraria 'fuzileiros dos EUA' urinando em cadáveres gera condenação

Um vídeo divulgado na internet, mostrando quatro homens em uniformes dos fuzileiros navais americanos urinando no que parecem ser corpos de combatentes do Talebã, gerou condenação da Otan, do presidente afegão e deu início a uma investigação do Pentágono.

"O governo do Afeganistão está profundamente perturbado por um vídeo que mostra soldados americanos profanando corpos de três afegãos", informou o gabinete do presidente Hamid Karzai em uma declaração.

"Este ato de soldados americanos é simplesmente desumano e deve ser condenado nos termos mais fortes possíveis. Pedimos ao governo dos Estados Unidos para investigar com urgência o vídeo e aplicar a punição mais severa a qualquer um que seja considerado culpado deste crime", acrescentou a declaração.

O vídeo teria sido gravado no Afeganistão e divulgado no site YouTube. A legenda no site afirma que os homens mostrados no vídeo são fuzileiros navais americanos, parte de uma equipe de franco-atiradores baseados em Helmand, mas não há confirmação destes dados.

As imagens foram divulgadas pela rede de TV árabe Al-Jazeera e ainda não se sabe quem originalmente colocou o vídeo no YouTube. O vídeo, de cerca de 40 segundos, mostra os quatro homens em uniformes de pé em frente a três corpos masculinos, no chão, de pele morena e roupas largas. Um deles parece estar coberto de sangue.

Uma voz pode ser ouvida ao fundo afirmando: "Tenha um bom dia, amigo".

Autenticidade

O Exército americano iniciou uma investigação sobre a autenticidade do vídeo e os Fuzileiros Navais americanos declararam que estas ações não seguem os valores ensinados aos seus militares.

"Estamos muito preocupados com este vídeo", disse John Kirby, um porta-voz do Pentágono que acrescentou que, se as imagens forem verdadeiras, representam "uma conduta cruel e inaceitável para um membro das Forças Armadas".

O Talebã também criticou o vídeo, qualificando-o de "vergonhoso"

Qari Yousuf Ahmadi, um dos porta-vozes do movimento, disse à BBC que esta não é a primeira vez que americanos cometem um "ato de selvageria" e que os ataques do Talebã contra os americanos vão continuar.

Mas, outro porta-voz do grupo, Zabihullah Mujahid, afirmou que o vídeo "não é um processo político, então não vai afetar nossas negociações de paz e de troca de prisioneiros, pois elas estão em um estágio preliminar

A missão liderada pela Otan no Afeganistão, a Isaf (Força Internacional de Assistência para Segurança, na sigla em inglês), afirmou que "condena as ações mostradas no vídeo, que parecem ter sido conduzidas por um pequeno grupo de indivíduos americanos, que, aparentemente, não estão mais servindo no Afeganistão".

A parlamentar afegã Fawzia Kofi afirmou que o cidadão afegão comum, não importa a opinião que tenha sobre o Talebã, ficará perturbado com o vídeo.

"É uma questão de respeito ao ser humano. Acredito que atos brutais do Talebã durante seu governo e mesmo agora são condenados pelos afegãos. Assim como assistir a um ato brutal de forças internacionais. Condenamos isto também", disse a parlamentar à BBC.