A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Um ano depois de revolução, turismo ainda sofre perdas no Egito

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Número de turistas diminuiu desde a revolução de 2011 no Egito (BBC)

O Egito já foi um dos destinos turísticos mais populares entre os ocidentais. Mas, desde a queda do presidente Hosni Mubarak, em 2011, muitos deixaram de viajar ao país.

A revolução desencadeou a ascensão de grupos políticos muçulmanos linha dura, que contam com muito apoio principalmente nas cidades menores do país.

Além da queda no número de turistas, o setor no Egito agora precisa lidar também com aqueles que defendem uma interpretação estrita do islamismo.

Em alguns restaurantes já não é possível comprar bebidas alcoólicas, pois os donos temem os muçulmanos mais linha dura.