Brasileiras sequestradas no Egito são libertadas

Monte Sinai
Image caption Turistas voltavam de visita a mosteiro no sopé do Monte Sinai quando foram atacadas

A agência Mena, órgão oficial de notícias do Egito, informou no seu site na noite deste domingo que as duas turistas brasileiras sequestradas mais cedo por beduínos no deserto do Sinai foram libertadas.

A identidade, a idade e a procedência das duas brasileiras não foi revelada pelas autoridades. A BBC Brasil contatou o Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores) para obter mais informações sobre a liberação, mas não obteve retorno.

As negociações estavam sendo feitas pelo Ministério do Interior do Egito, sendo acompanhadas por diplomatas brasileiros, segundo informou mais cedo o Itamaraty. Não se sabe se os sequestradores receberam algo em troca da liberação.

As brasileiras foram sequestradas quando voltavam de uma visita ao Mosteiro Ortodoxo de Santa Catarina, localizado no sopé do Monte Sinai.

O ônibus de turismo no qual viajavam foi atacado por homens armados. Apenas as duas brasileiras foram retiradas do ônibus e levadas pelos sequestradores.

O Itamaraty informou que o ônibus transportava aproximadamente 45 brasileiros. Após o incidente, o veículo foi escoltado por forças de segurança do Egito até uma localização segura.

Autoridades locais disseram acreditar que os sequestradores pretendem negociar a libertação das vítimas exigindo que prisioneiros sejam soltos pelo governo. Esta informação não foi confirmada, no entanto.

Sequestros

Este é o terceiro sequestro de turistas na região neste ano.

No mês passado, duas americanas e seu guia egípcio ficaram em poder de sequestradores por algumas horas, até que autoridades egípcias conseguiram sua libertação.

Funcionários de uma fábrica de cimento chinesa também foram sequestrados no mês passado, e libertados alguns dias depois.

Notícias relacionadas