Professora corta trança de menina sem véu no Egito

Atualizado em  7 de novembro, 2012 - 10:59 (Brasília) 12:59 GMT

Player

Mulher diz que punição foi exigida por colegas de aluna de 11 anos.

Assistirmp4

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

A professora de uma menina de 11 anos foi condenada no Egito a pagar uma pequena multa e a cumprir uma pena suspensa de seis meses por cortar o cabelo de uma aluna como punição por não usar o véu islâmico.

A menina, Mona Barbesh, havia combinado com o pai que só usaria o hijab quando se sentisse "pronta".

Mona Barbesh

Mona Barbesh e uma colega são as únicas meninas da escola em Luxor a não usar o véu

Mas o acerto não foi respeitado na escola, e ela acabou sendo punida pela professora Iman Kilani com o corte de uma das tranças.

A professora acusada afirma ter visto duas meninas da escola sem o véu diversas vezes e que colegas reclamavam disso.

"Como prometi tomar uma atitude, as outras meninas me cobravam insistentemente. Então, quando isso voltou a acontecer, um menino me emprestou uma tesoura e tive de manter a palavra e punir as duas."

Muitas mulheres do Egito usam o hijab. Em Luxor e outras cidades do norte, o hábito começa desde os dez anos.

Um representante do governo diz que não há leis que forcem as escolas a exigir o uso do véu, e a menina Mona vai poder continuar a ir à escola sem o véu islâmico .

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.