Do sul do Brasil a candidato a papa: a trajetória de dom Odilo

Um papa brasileiro?

Descendente de imigrantes alemães radicados no Brasil, o arcebispo de São Paulo, dom Odilo Scherer, de 63 anos, trilhou um caminho virtuoso na hierarquia da Igreja Católica. Ele está entre os mais bem cotados para suceder o agora papa emérito Bento 16, que renunciou no mês passado.

Sétimo de 13 irmãos, Scherer nasceu em 1949 em Cerro Largo, no noroeste do Rio Grande do Sul, mas se mudou com a família com apenas dois anos para os arredores da cidade de Toledo, no oeste do Paraná.

"As terras do Rio Grande do Sul estavam ficando muito caras, e meu avô decidiu aceitar a oferta de um terreno e partiu rumo ao oeste do Paraná, que até então era uma região pouco explorada", afirmou Ana Maria Scherer, sobrinha de dom Odilo Scherer.

"Lá, dedicaram-se à agricultura. A família inteira trabalhava na lavoura, inclusive o tio (Scherer)", acrescentou.

Educados em um seminário administrado por padres locais, todos os meninos abdicaram da vida religiosa, exceto Scherer, cuja vocação pelas causas da Igreja sempre pareceu mais forte do que nos demais.

Em dezembro de 1976, aos 27 anos, foi ordenado padre em Toledo.

Na função, foi desde reitor e professor do Seminário Diocesano de São José, em Cascavel (PR), entre 1977 e 1978, a oficial da Congregação para os Bispos na Cúria Romana, entre 1994 e 2001, quando trabalhou diretamente com o papa João Paulo 2º (1920-2005).

Também fez mestrado e doutorado em Roma e no Brasil contribuiu para a formação de diversos jovens seminaristas.

Em 2002, assumiu o cargo de bispo auxiliar de São Paulo, nomeado pelo então arcebispo da cidade, o cardeal dom Cláudio Hummes. A ordenação como bispo ocorreu em fevereiro de 2002, e a posse, no início de março do mesmo ano.

Cinco anos depois, em abril de 2007, Scherer se tornou arcebispo de São Paulo, o sétimo a ocupar o cargo.

Em novembro daquele ano, foi nomeado cardeal, o posto máximo antes do pontificado.

A cerimônia aconteceu na Basílica de São Pedro, no Vaticano, e foi celebrada por Bento 16, a quem Odilo Scherer agora pode suceder.