Corinne Hutton espera fazer a cirurgia ainda este ano (BBC)
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Escocesa receberá transplante duplo de mãos

Uma escocesa será a primeira pessoa na Grã-Bretanha a receber um transplante duplo de mão.

Em 2013, Corinne Hutton sofreu uma infecção por estreptococus que causou septicemia e gangrena nas mãos e pés, que tiveram que ser amputados.

Mas, agora, ela aguarda o aparecimento de um doador para se transformar na primeira pessoa do país a ter duas mãos implantadas.

Simon Kay, do Hospital Geral de Leeds, já fez uma cirurgia como esta em outro paciente, Mark Cahill. Mas, apenas uma das mãos tinha sido transplantada naquela ocasião.

"(...) Esta operação é muito mais complexa. No caso de Mark tivermos que substituir três nervos, mas no caso de Corinne serão dez e mais todos os tendões que precisam de reparos individualmente. Então, de um ponto de vista técnico, é muito mais complicado, mas o conceito é o mesmo", disse.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Corinne Hutton espera fazer a cirurgia ainda este ano (BBC)

Na época em que as mãos e pés foram amputados, os médicos conseguiram preservar os pulsos de Corinne.

"Pensei que, com o transplante, eles cortariam meus pulsos e, se (a operação) não funcionasse, eu ficaria muito pior. Mas, eles me disseram que as mãos dos doador serão implantadas nos meus pulsos e, por isso, se fracassar, não ficarei pior", disse a paciente.

"Acho que ela vai ter uma boa função (das mãos) rapidamente e, em parte, isto se deve à equipe (médica) em Glasgow que removeu as mãos de Corinne de uma forma que facilitaria um transplante depois", afirmou o médico Simon Kay.

Corinne já passou por avaliações psicológicas e também exames dos tecidos das mãos, antes da operação - que os médicos querem realizar ainda este ano, assim que a equipe tiver encontrado um doador compatível.

As novas mãos de Corinne serão diferentes e os médicos querem ter certeza de que a paciente está preparada para ver as mãos de um estranho em seus braços.

"Me disseram que é psicologicamente difícil. Gosto de pensar que ficarei agradecida a quem quer que tenha me dado as mãos", disse.

Os médicos esperam que a paciente tenha alguma sensação nas novas mãos o mais rápido possível, mas serão necessários entre 14 e 16 meses para que os membros transplantados fiquem totalmente estabilizados.