estátuas vestidas | BBC
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Artista japonês chama atenção 'vestindo' estátuas em Tóquio

Obscenidade, vandalismo, pegadinha, esquisitice. A lista de adjetivos que críticos e mesmo o público usam para definir o trabalho do artista Jun Kitagawa é longa.

Aos 48 anos, o japonês apenas ri e diz que o objetivo é mesmo chamar a atenção. "Independentemente de o público ver o meu trabalho como agradável ou perturbador, o impacto visual que sacode as pessoas é justamente uma parte essencial do meu trabalho", explica à BBC Brasil.

Kitagawa diz que estimula as pessoas ao colocar camisetas brancas em estátuas nuas, ao instalar zíperes gigantes em parques ou ao decorar um ambiente com dezenas de balões com formatos inusitados.

A BBC Brasil o acompanhou numa destas intervenções artísticas. Ele vestiu uma camiseta branca em uma estátua localizada em frente à subprefeitura de Shinjuku, no coração da capital japonesa.

"Muitas dessas esculturas estão ali há anos e as pessoas nunca prestam atenção. Quando coloco uma camiseta, quero que as pessoas percebam algo diferente e vejam o que está acontecendo ali", justifica.

Kitagawa nunca parou para contar quantas estátuas já vestiu.

"Mas são mais de 40, com certeza", fala. A maioria na capital japonesa e na província vizinha Kanagawa.

O japonês sempre procura estátuas com formato humano mais próximo do real. "Uso camisetas brancas porque elas realçam melhor a silhueta do corpo."

Image caption Jun Kitagawa veste estátuas em Tóquio

Ele costuma pedir permissão. E ainda se surpreende quando o pedido é aceito. Para manter o espírito da arte instantânea de rua, ele não deixa a estátua vestida por mais de dez dias.

No caso de Shinjuku, a intervenção não durou nem dez minutos. Após a segurança do patrimônio ter permitido a atividade, um superior não gostou da ideia e pediu a Kitazawa para retirar a camiseta.

Camisetas encalhadas

A iniciativa de criar instalações de artes públicas não surgiu por amor à profissão ou por impulso. Na verdade, Kitagawa tinha criado dezenas de camisetas com desenhos de mulheres nuas, mas por serem muito provocativas, não conseguiu vender nenhuma.

"Fiquei decepcionado", conta.

Como tinha um estoque enorme de camisetas brancas, ficou pensando numa forma de utilizá-las. "Uma vez, andando pela rua, percebi uma estátua e achei que seria interessante visualmente colocar uma camiseta nela."

Tirou algumas fotos, retirou a camiseta e, depois, mostrou as imagens para alguns amigos. Alguns gostaram, outros ficaram bravos. De qualquer forma, Kitagawa tinha estimulado fortes reações e gostou daquilo.

"Hoje, muita gente diz que a estátua fica mais provocativa quando está com a camiseta, pois não tem calças ou shorts, então dá um ar mais erótico."

O artista também tem trabalhos mais tradicionais, como decoração de festivais e eventos culturais.

Nestes trabalhos, Kitazawa mantém o espírito de despertar reações nas pessoas. Em diversas instalações, ele usou por exemplo zíperes gigantes.

"Os zíperes transmitem que o que estamos realmente vendo neste mundo real é apenas uma superfície. Ao retirar essa 'casca' vemos que há um espaço escondido, diferente do nosso lado", explica.