Mulher acusada de bruxaria é morta por família na Índia

Direito de imagem AFP
Image caption 'Bruxa' acorrentada: prática ainda pode ser encontrada na Índia

Uma mulher acusada de praticar bruxaria foi morta por seus próprios parentes na Índia.

Dukalheen Bai foi despida, espancada e torturada durante horas por seu cunhado Nakul Patel e vários outros membros da família, segundo a polícia.

Patel acusou a mulher de fazer seu filho adoecer utilizando poderes mágicos. Dez pessoas, incluindo cinco mulheres, foram presas pelo incidente.

O caso aconteceu no distrito de Bemetara, no estado de Chhattisgarh, no centro da Índia.

"Minha mãe foi espancada fortemente. Ela gritava, mas a maioria do vilarejo só assistia. Eu protestei, mas não consegui salvar minha mãe", disse à BBC Hindi o filho da mulher, Ashok Patel.

Violência contra mulheres acusadas de bruxaria é comum em partes da Índia e muitas vezes esses episódios terminam com a morte dos suspeitos.

A prática é particularmente prevalente entre as comunidades tribais do país.

Leia mais: Espancamento de 'bruxas' em vilarejo choca a Índia

Segundo especialistas, por trás dos ataques normalmente estão crenças supersticiosas. Mas há casos em que as mulheres, principalmente as viúvas, são alvo de violência por suas terras e propriedades.

No início deste mês, a atleta Debjani Bora, que ganhou várias medalhas de ouro no lançamento de dardo, disse à BBC que foi amarrada e espancada depois de ter sido acusada de bruxaria em seu vilarejo, no estado de Assam.

Notícias relacionadas