Conta de água em Itu / Crédito: BBC
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Na cidade sem água, contas continuam chegando

Em Itu, a 102 km de São Paulo, a seca tem deixado milhares de casas sem água por meses. A cidade é a mais afetada pela estiagem que assola o Estado e vive um racionamento há nove meses. Mas as contas de água têm chegado normalmente para alguns moradores.

O valor, inclusive, chegou a aumentar, mesmo sem nenhuma gosta de água caindo da torneira. Moradores e comerciantes da cidade relatam à BBC Brasil que reclamaram com a Águas de Itu, empresa responsável pelo fornecimento de água na cidade, mas não obtiveram sucesso e foram orientados a pagarem as cobranças.

À reportagem, a empresa admitiu que houve alguns problemas de cobranças indevidas e que está revisando as contas de moradores que protocolam a reclamação. Ainda assim, segundo a Águas de Itu, há "mais gasto de água durante a estiagem, porque os moradores costumam armazenar mais para não ficarem sim, e isso fica registrado no hidrômetro."

Além das contas de água, os moradores têm tido que gastar bastante para 'driblar' a seca comprando galões para encher nas bicas, caixas d'água para armazenar água no quintal e até caminhões pipa para amenizar o problema. Mas com a estiagem atingindo os níveis mais altos na cidade, os preços de todos esses itens dobraram - alguns até triplicaram -, fazendo com que comerciantes e moradores tivessem que encaixar um valor bem alto no orçamento apenas destinado a água.

Veja no vídeo.