SCMP.tv
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Pedestres se apressam para apanhar dinheiro que caiu de carro forte

A polícia de Hong Kong está pedindo que o público devolva milhões de dólares levados depois que o carro-forte que transportava o dinheiro sofreu um acidente e espalhou cédulas pela rua.

O veículo levava cerca de HK$ 525 milhões (mais de R$ 181 milhões) quando sofreu um acidente em uma das ruas mais movimentadas do bairro de Wan Chai.

Cerca de HK$ 35 milhões (R$ 12 milhões) em cédulas ficaram espalhadas pelo asfalto depois do acidente.

A polícia conseguiu recuperar de imediato HK$ 20 milhões (cerca de R$ 6,8 milhões) e divulgou repetidos pedidos para que o público devolvesse os HK$ 15 milhões (cerca de R$ 5,2 milhões) restantes.

Algumas horas depois, 27 pessoas tinham devolvido cerca de um terço disso - HK$ 4,8 milhões ou cerca de R$ 1,8 milhões -, informou a polícia, de acordo com o jornal South China Morning Post.

Problema na porta

Segundo testemunhas, dezenas de pessoas correram para o local para recolher o dinheiro antes que policiais armados chegassem para isolar a área.

O incidente ocorreu por causa de uma problema na porta da van que transportava os valores.

O episódio foi em plena hora do almoço e causou muito tumulto. Motoristas abandonaram seus carros no meio da rua para recolher o dinheiro espalhado.

Segundo testemunhas, também era possível ver pacotes de HK$ 500 (cerca de R$ 172) embalados em plástico e jogados na rua.

Uma testemunha disse ao jornal local South China Morning Post que viu uma "senhora comum, típica de Hong Kong" sair carregando pelos menos dez destes pacotes de notas.

"Ela estava com uma braçada de pacotes de dinheiro, que era o máximo que ela conseguia carregar. Depois desapareceu nas profundezas de Wan Chai", disse a testemunha.

As autoridades advertiram que manter o dinheiro é "um crime muito grave".

Falando pouco depois do acidente, o superintendente da polícia, Wan Siu-hong, pediu que todos os que pegaram as cédulas na rua as devolvessem o mais rápido possível.

"Quem ficar com o dinheiro para uso próprio pode estar cometendo o delito de furto, que é um crime muito grave", disse o policial a jornalistas.