Foto: Luís Martins - ZDB Galeria
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Filho da Mãe, o instrumentista que une clássico e rock

Ao longo desta semana, a BBC Brasil publica a segunda e última parte da sua série sobre os novos artistas da cena musical de Lisboa. O jornalista Rodrigo Pinto foi à capital portuguesa para investigar por que há tanto interesse internacional na música produzida na cidade.

Os artistas destacados ajudaram a renovar e atrair atenção para gêneros como fado, kuduro e até rock’n roll.

Leia mais: BBC apresenta destaques da nova música portuguesa

Leia mais: Após vencer 'The Voice' de Portugal, Sara Tavares larga gospel e volta às origens

Leia mais: Buraka Som Sistema, a ponte entre Luanda e Jean-Claude Van Damme

Leia mais: Bruno Pernadas, o 'alien' da nova música portuguesa

Leia mais: João Gilberto corre nas veias de António Zambujo

Leia mais: Grupo português quer 'roubar' Carmen Miranda do Brasil

Leia mais: Você já ouviu falar em baterias siamesas? Conheça o grupo Paus

Em uma apresentação na pequena – e lotada – Galeria Zé dos Bois, no Bairro Alto de Lisboa, o músico Rui Carvalho, conhecido como Filho da Mãe, faz as cordas de seu violão soarem como uma orquestra.

É o fim de um dos dois shows que ele fez na casa noturna, uma das mais movimentadas da cidade, onde artistas populares e experimentais se revezam em um espaço com capacidade para 200 pessoas.

Rui deixa o palco e, no camarim, explica como dá nova abordagem a um instrumento importante para a música tradicional portuguesa.

"Uso estes pedais aqui", diz, apontando para os equipamentos que usa para multiplicar as notas do violão ao interpretar.

Para a BBC, porém, Rui, ou Filho da Mãe, escolhe uma música menos "orquestral", Não te Mexas. Ainda assim, toca forte, e quem o vê teme pela integridade física de seu violão de cordas de nylon.

Certa vez, o jornal O Público, um dos principais do país, descreveu a forma como o músico toca como "uma majestosa luta com a guitarra".

Questionado sobre como definiria sua música, o Filho da Mãe se diverte.

"Eu próprio me pergunto o que estou a fazer. Eu pego um instrumento clássico, coloco de um modo rock e o deturpo."