ap
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

'Eles me acordavam todos os dias para brincar. Estão todos mortos agora', diz pai de menino sírio

O pai do menino sírio de três anos encontrado morto numa praia na Turquia contou como foi a viagem que levou à morte de seus dois filhos e esposa.

A foto de Aylan Kurdi, que morreu afogado após o barco em que estava ter naufragado durante tentativa de chegar à Grécia, sensibilizou o mundo sobre a crise de imigrantes que tentam asilo na Europa.

O pai do menino, Abdullah, disse que altas ondas atingiram a embarcação minutos depois de terem começado a viagem. O capitão, contou ele, "entrou em pânico, mergulhou e fugiu".

Abdullah estava com Aylan e também com a mulher, Rehan, e outro filho, Galip, de 5 anos. Eles almejavam chegar ao Canadá, onde vivem parentes da família, mesmo depois de terem pedido de asilo negado pelo país.

"Meus filhos eram as crianças mais lindas do mundo. Eles eram maravilhosos. Eles me acordavam todos os dias pela manhã para brincar. Eles estão todos mortos agora", disse ele à BBC.

A família era da cidade síria de Kobane, que tornou-se conhecida pelas batalhas entre militantes do grupo autodenominado "Estado Islâmico" e forças curdas.

Abdullah disse ter tentado controlar o barco, mas este virou com as ondas. "Quando eu peguei minha mulher e meus filhos nos braços, vi que estavam todos mortos".

"Tudo que eu quero fazer é sentar perto do túmulo da minha mulher e meus filhos".

A polícia turca prendeu quatro pessoas suspeitas de serem traficantes de pessoas - eles são sírios entre 30 e 41 anos, segundo a agência de notícias turca Dogan. Doze sírios morreram em barcos que naufragaram.

Milhares de imigrantes morreram neste ano ao tentar chegar à Europa por mar.

Leia mais: A história por trás da foto do menino sírio que chocou o mundo

Leia mais: Imigração ilegal transforma cidade turca em 'capital do colete salva-vidas'