A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Conheça o Museu do Amanhã inaugurado no Rio de Janeiro

Após quatro anos de espera e sucessivos atrasos, o Museu do Amanhã, na região portuária do Rio, enfim abre as portas ao público no sábado, após solenidade de inauguração com a presidente Dilma Rousseff nesta quinta à noite.

A inauguração do museu chegou a ser prevista para a época Rio+20 em 2012, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, mas alterações no projeto tornaram o prazo inviável.

O projeto arquitetônico é assinado pelo catalão Santiago Calatrava, que elaborou um edifício futurístico, inspirado na imagem das bromélias que viu quando fazia sua pesquisa de campo no Rio.

A obra capta água do fundo da baía de Guanabara para fazer toda a refrigeração, circulando pelo edifício e devolvida filtrada ao meio ambiente; e tem abas laterais móveis para que os painéis de energia solar captem a maior quantidade possível ao longo do dia.

O museu é uma das principais âncoras do Porto Maravilha, o projeto de revitalização da região portuária do Rio, e é uma parceria da prefeitura do Rio e da Fundação Roberto Marinho, também responsável pelo Museu de Arte do Rio (MAR) e do Museu da Imagem e do Som (MIS).

A obra custou R$ 308 milhões, sendo R$ 215 milhões pagos com recursos arrecadados pela prefeitura com as Cepacs – os Certificados de Potencial Adicional de Construção, comprados por imobiliárias para ter poder construir empreendimentos mais altos que o definido pelo zoneamento da região portuária – e o restante obtido com patrocínio.

A partir de sábado, o museu funcionará de terça a domingo, das 10h às 18h, com ingressos a R$ 10 e entrada gratuita às terças-feiras.

Reportagem: Júlia Dias Carneiro

Vídeo: Chuck Tayman