A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Vítima de agressão, transgênero jamaicano volta para casa

Romario Wanliss esteve longe da Jamaica - e de sua família, que ainda mora lá - por 7 anos.

Depois de sofrer agressões por ser transgênero, ele deixou tudo para trás para viver em Birmingham, na Inglaterra, onde vive com um amigo também trans.

A Jamaica é considerada por muitos grupos de direitos humanos como um dos países mais transfóbicos do mundo.

Agressões como as que Romario e muitos de seus amigos sofreram são comuns por lá.

“Na Jamaica, você luta para não ser morto só por ser gay, lésbica ou trans”, queixa-se Romario.

Ele acabou de voltar das férias em terras jamaicanas, onde reencontrou a família pela primeira vez, oficialmente, como homem.

Apesar do preconceito social do país, no entanto, a família de Romario se manteve próxima a ele.

"Meu pai e eu continuamos a conversar (mesmo após a mudança de país) e eu me tornei muito mais próximo de outros familiares, especialmente meus irmãos e irmãs”, disse ele à BBC Newsbeat.