A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Mianmar elege primeiro presidente civil desde 1962

O Parlamento de Mianmar acaba de eleger seu primeiro líder civil democraticamente em 54 anos.

O novo presidente, Htin Kyaw, é um aliado próximo da vencedora do Nobel da Paz Augn San Suu Kyi, cujo partido, a Liga Nacional pela Democracia, ganhou as históricas eleições de novembro em meio a clamores por uma governança civil após décadas de poder militar.

Kyaw disse que sua nomeação era uma “vitória de Aung San Suu Kyi”, que afirmou que será a pessoa que realmente comandará o país.

Uma cláusula na Constituição de Mianmar impede Suu Kyi de ocupar o cargo.

A cláusula em questão – vista por alguns como artifício criado para impedir Suu Kyi de assumir o cargo - diz que pessoas com filhos de outras nacionalidades não podem ser eleitas. Ela tem um filho com passaporte britânico.

O novo presidente foi eleito com 360 votos no Parlamento bicameral, de um total de 652, e os deputados aplaudiram o resultado quando este foi anunciado.

O regime militar estava em vigor no país desde 1962, quando o general Ne Win liderou um golpe de Estado.

Esse regime durou até 1988, quando, com um novo golpe de Estado foi orquestrado pelo general Sae Maungm apesar de clamores populares por democracia.

Desde 1990, sob pressões, o governo vinha prometendo eleições livres.

Mas o regime militar resistiu até o final de 2010, apesar de denúncias de crimes contra a humanidade e de constantes manifestações populares.

Em 2011, um governo civil foi instaurado, mas ainda sem eleições democráticas.